Comissão estuda proposta para fim de ocupações do MTST

  Ádamo Araujo, da Agência Brasília
Na terça-feira (10), haverá novo encontro com trabalhadores sem-teto que apresentaram reivindicações ao governo no sábado
BRASÍLIA (8/2/2015) — Nesta segunda-feira (9), a partir das 8 horas, o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, reúne-se com representantes da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) e da Secretaria de Desenvolvimento Social e Humano (Sedhs), para encontrar resposta às reivindicações do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). Na madrugada de sábado (7), de acordo com levantamento da Polícia Militar, cerca de 500 famílias ocuparam seis localidades do Distrito Federal. No mesmo dia, durante toda a tarde e início da noite, manifestantes e uma comissão governamental reuniram-se na Administração Regional de Ceilândia. O governo do Distrito Federal ouviu as reivindicações e novo encontro ficou marcado para terça-feira (10).
 
"Algumas questões são mais simples de cumprir. Outras terão que passar por uma avaliação governamental, uma vez que o Distrito Federal está em fase de reordenamento de contas para sanar as questões financeiras que são de conhecimento de todos", adiantou o secretário de Gestão do Território e Habitação. Ele avaliou de maneira positiva o andamento de dois editais da Terracap que, de acordo com líderes do MTST, garantiriam moradia a cerca de mil inscritos no Minha Casa, Minha Vida — em Nova Planaltina e Samambaia. No DF, o programa tem 350 mil cadastros, 147 mil deles já habilitados.
 
Segundo Andrade, também estão bem encaminhadas as concessões dos benefícios sociais reivindicados pelos integrantes do movimento, como o auxílio-vulnerabilidade, repassado pela Sedhs. "O de janeiro já foi pago, falta apenas o de dezembro", informou o secretário. O benefício mensal de R$ 408 é concedido a famílias que tenham renda per capita inferior a um salário mínimo.
 
Reunião do movimento
O MTST também vai se preparar nesta segunda-feira (9) para a nova reunião de terça-feira (10) com a comissão governamental. "Nossa discussão será em torno já de dar início à retirada das ocupações. O governo abriu um canal de discussão jamais visto. Nós do movimento fomos ouvidos e saímos bastante otimistas do encontro. Se tudo for favorável para todas as partes na terça-feira, de imediato começamos a desmontar nossas estruturas nas cidades ocupadas", garantiu o coordenador do MTST em Brasília, Edson Silva.
 
Segundo o movimento, as ocupações estão distribuídas da seguinte forma: em Brazlândia, na entrada principal da cidade, ao lado do Setor Tradicional; na Ceilândia, no Centro Metropolitano, lotes 2, 3 e Praça do Sol; em Planaltina, próximo à Estância Recanto do Sossego, 35, e ao lado do Condomínio Estância Mestre D'Armas V; no Recanto das Emas, em uma escola abandonada, na quadra 301; em Samambaia, na quadra 217; e, em Taguatinga, no Mercado Sul (QSB 12/13).
 
Google Plus

Por Movimento dos Comunicadores do Brasil

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário