PESQUISA: Renda per capita no Recanto das Emas aumentou nos últimos dois anos

Pesquisa da Codeplan divulgada nesta quarta-feira apresenta informações sobre a região administrativa



De 2013 a 2015, a renda per capita do Recanto das Emas aumentou de R$ 732,33 para R$ 803,92. Com isso, a média de rendimento familiar também teve alta no mesmo período de comparação — passou de R$ 2.714,49 para R$ 2.747,59. Os dados fazem parte da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios da região, divulgada na tarde desta quarta-feira (13) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

Desafios

No entanto, apesar do crescimento, a região apresenta desafios, herdados de um crescimento habitacional desordenado e irregular. Com o aumento não planejado, diminui-se a quantidade de pessoas com acesso a saneamento básico e a escolas na região. Problemas que, segundo o administrador do Recanto das Emas, Fábio Viana Ávila, estão sendo estudados: "Estamos em contato com a regional de ensino, visando à identificação de áreas para instalar novos colégios. Além disso, é entendimento do governador que não sejam permitidas novas invasões."




"O que nos chama a atenção no Recanto das Emas é um crescimento populacional significativo nesses últimos anos, com vários resultados positivos, como a melhora no nível educacional e na renda", destacou o presidente da Codeplan, Lucio Rennó.

O Recanto das Emas tem atualmente 145.304 habitantes na área urbana, distribuídos em 41.434 domicílios. Do total, cerca de 24% são estudantes de escolas públicas e 3,19% de instituições particulares. Quanto ao nível de escolaridade, a população concentra-se nas categorias dos que têm ensino fundamental incompleto, 38,48%, e médio completo, 23,03%. Os que possuem nível superior representam 5,52%, quase o dobro do percentual apurado em 2011, de 2,15%. Dos estudantes que moram no Recanto das Emas, 78,35% frequentam as aulas na própria região administrativa.

A maior parte dos moradores tem entre 40 e 59 anos de idade, 27,26%. Quanto à ocupação dos habitantes acima de 10 anos de idade, 49,55% têm atividades remuneradas, 15% são estudantes e 8,57% estão desempregados. O setor que mais absorve a comunidade local é o de serviços, com 90%. Prevalecem moradores com carteira assinada (62,61%), enquanto os autônomos representam 15,70%.


Foto: Pedro Ventura


A região administrativa foi criada em 28 de julho de 1993 e possui 59 quadras residenciais. Quase todas as moradias são abastecidas pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (98,62%) e têm energia elétrica (99,50%). A rede de esgoto atende 91,70% da população; o Serviço de Limpeza Urbana, 95,35%. Além disso, 84,03% das casas recebem coleta seletiva.

Desafios
No entanto, apesar do crescimento, a região apresenta desafios, herdados de um crescimento habitacional desordenado e irregular. Com o aumento não planejado, diminui-se a quantidade de pessoas com acesso a saneamento básico e a escolas na região. Problemas que, segundo o administrador do Recanto das Emas, Fábio Viana Ávila, estão sendo estudados: "Estamos em contato com a regional de ensino, visando à identificação de áreas para instalar novos colégios. Além disso, é entendimento do governador que não sejam permitidas novas invasões."

As próximas pesquisas deste tipo a serem divulgadas pela Codeplan serão referentes a Brazlândia e a Planaltina, respectivamente.



Fonte: Redação.
Google Plus

Por Movimento dos Comunicadores do Brasil

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário