GESTÃO: Rollemberg presta contas dos primeiros 120 dias

Rollemberg expôs realizações para resgatar equilíbrio financeiro no período e falou de desafios que tem pela frente


A apresentação do balanço dos primeiros 120 dias do governo de Brasília, feita na tarde desta quinta-feira (30) pelo governador Rodrigo Rollemberg, mostrou que ainda há problemas pela frente, mas muitos já foram solucionados. Por mais de uma hora, no Palácio do Buriti, o chefe do Executivo local prestou contas da gestão para uma plateia formada por secretários de Estado, administradores, jornalistas e integrantes de setores da sociedade civil.

Além de expor ações realizadas no período, Rollemberg destacou a relação positiva com o Senado Federal e as Câmaras dos Deputados e Legislativa, que permitiu aprovar importantes projetos de interesse da população do Distrito Federal. Citou como exemplo a aprovação da proposta de emenda à Constituição que altera a distribuição do imposto de produtos vendidos pela internet e pelo telefone. "Com essa aprovação — pela Câmara e pelo Senado —, o imposto passa a ser pago também no destino, o que deve dar a Brasília, já no próximo ano, uma receita da ordem de R$ 200 milhões", afirmou.

Rollemberg considerou a rejeição de projetos de governo pela Câmara Legislativa — entre eles, a proposta de reduzir o número de administrações regionais — como parte do processo democrático. "Num ambiente democrático, nada mais natural lidarmos com divergências. Entendemos que seria melhor [diminuir a quantidade de administrações], mas os deputados demonstraram resistência e, por isso, resolvemos retirá-la para avaliar melhor", ponderou o governador.

Questionado sobre o maior desafio de sua gestão, elegeu a saúde. "Encontramos uma terra arrasada na saúde, com 101 leitos desativados, serviços prestados sem contratos, e a rede completamente desabastecida. Não temos expectativa de resolver tudo de uma hora para outra, mas, aos poucos, avançamos", disse.

Fornecedores
O governador também falou da estratégia de pagar de forma parcelada os atrasados com fornecedores e explicou que essa é a única maneira de honrar os compromissos com os prestadores sem sacrificar serviços essenciais e salários de servidores: "Em maio, vamos estabelecer um cronograma para pagamento. Vamos pagar parcelado por absoluta falta de possibilidade de fazer os depósitos à vista."

Rollemberg ainda anunciou que novas medidas de contenção de despesas e projetos de aumento na arrecadação serão tomadas na segunda quinzena de maio. "Sabemos da necessidade de continuar reduzindo os gastos e estamos trabalhando projetos estratégicos a fim de elevar a receita", destacou o chefe do Executivo local.

Ao encerrar a apresentação, ele reforçou o compromisso de permanecer trabalhando para resgatar o equilíbrio financeiro do governo e aperfeiçoar a prestação dos serviços públicos: "Ainda temos desafios imensos pela frente, mas eles não são maiores que o nosso compromisso com Brasília."


Google Plus

Por Movimento dos Comunicadores do Brasil

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário