CINEMA: Cineasta brasiliense homenageia diretor de longas-metragens Afonso Brazza

Curta de 20 minutos de Naji Sidki será parte da programação do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro


Foto: José de Paula

Há 20 anos no mundo do cinema, o brasiliense Naji Sidki, de 43 anos, conheceu o cineasta Afonso Brazza (1955-2003) em 2001, por meio do convite de um amigo que queria produzir um documentário sobre o profissional. "Já tinha visto alguma coisa, mas conhecia pouco da história", relata. Ele entrou na produção do filme e passou a acompanhar o diretor nos sets de filmagens e a entrevistá-lo.

O resultado desse esforço é o curta-metragem de 20 minutos Afonso é uma Brazza (2015), um dos selecionados para a Mostra Brasília, parte da programação do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Bombeiro de profissão e dono de videolocadora, Brazza fez carreira no cinema trash como diretor de oito longas-metragens. "Ele motivou muitas pessoas a fazerem cinema com poucos recursos e com determinação", destaca Sidki, que participará pela primeira vez da competição.

Segundo o cineasta brasiliense, a produção levou 15 anos para ser concluída. "Decidimos parar em 2003, quando ele morreu", explica. Depois, Sidki resolveu tocar o projeto sozinho. Tentou por duas vezes, sem sucesso, conseguir patrocínio por meio do Fundo de Apoio à Cultura. "Depois da frustração, decidi revirar tudo novamente e finalizei o filme com a ajuda de parceiros."

Entre os destaques do curta estão os bastidores do sucesso Tortura Selvagem — A Grade (2001) e o homenageado contando a história de amor com a atriz Claudete Joubert, com quem foi casado até o fim da vida.

Cinegrafista de carreira, Sidki também participou da última obra de Brazza, Fuga sem Destino (2006), como diretor de câmera. O filme foi deixado incompleto com a morte do diretor e finalizado posteriormente pelo cineasta Pedro Lacerda.

Mostra Brasília
Oitenta e uma produções cinematográficas originalmente brasilienses disputarão a Mostra Brasília deste ano. A lista, que traz quatro longas-metragens e 14 curtas, foi divulgada na quarta-feira (22). Os cineastas concorrerão a R$ 200 mil em prêmios e ao 20º Troféu Câmara Legislativa.

As sessões são gratuitas e ocorrerão de 17 a 21 de setembro, das 17 às 19 horas.

Participaram da seleção das produções o diretor musical José Eugênio Matos, a jornalista e artista plástica Maria de Fátima Freire, o ator e vencedor do prêmio de melhor ator da Mostra Brasília de 2014, Marquim do Tropa, o presidente da Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo, Norlan Silva, e o diretor e produtor cultural Octávio Schwenck Amorelli.

A relação dos outros competidores do festival sai nesta segunda-feira (27).


Selecionados para a Mostra Brasília:

Longas-metragens

Alma Palavra, de Delvair Montagner e Armando Bulcão

Félix, o Herói da Barra, de Edson Fogaça

O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum

Santoro, o Homem e sua Música, de John Howard Szerman

Curtas-metragens

A Culpa é da Foto, de Eraldo Peres da Silva

Afonso é uma Brazza, de Naji Sidki

Asfalto, de Márcio de Andrade

Como se Voasse para Casa, de Wesley Gondim

Dias de Azar, de Priscila Pereira

Escuro do Medo, de João Gabriel Caffarelli

Faz seu Corre, de Ricardo Palito

João Brandão Adere ao Punk, de Ramiro Grossero

Johan, de Washington Rayk

Matriz Proibida, de Alan Schvarberg

O Melhor Fotógrafo do Mundo, de Faúston da Silva

O Sal dos Olhos, de Letícia Bispo

Setor Complementar, de Tiago Rocha dos Santos

Vagabunda de Meia Tigela, de Otávio Chamoro
Fonte: Redação.
Google Plus

Por Movimento dos Comunicadores do Brasil

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário