Ibaneis comemora almoço comunitário em Samambaia

Governador vestiu o avental do projeto Nosso Natal e preparou prato típico da festa para a população

Ibaneis: “Fizemos as refeições com muito carinho e dedicação. Que venha 2020!” | Foto: Renato Alves
Milhares de brasilienses viveram uma manhã e tarde especiais no restaurante comunitário da Samambaia neste sábado (21). O local, que é o berço do projeto social e de segurança alimentar, foi uma das 14 unidades a promover o projeto Nosso Natal, com uma ceia diferenciada e vendida ao preço de R$ 1.

O evento contou com a presença do governador Ibaneis Rocha e da primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, além de parte do primeiro escalão do governo. O chefe do Executivo preparou um bacalhau para os frequentadores do restaurante e comemorou a iniciativa.

“Momento de Natal e alegria, de confraternizar com quem mais precisa. Da última vez que viemos aqui batizamos o restaurante oficialmente de Rorizão e reduzimos o preço da refeição para R$ 1 real. Hoje, nós marcamos a campanha da solidariedade. Fizemos as refeições com muito carinho e dedicação. Que venha 2020”, discursou Ibaneis Rocha.

O projeto Nosso Natal foi idealizado pela primeira-dama Mayara Noronha Rocha em parceria com a vice-primeira-dama do DF, Ana Paula Hoff. A coordenação ficou a cargo da Secretaria de Governo em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Social. Também há participação da subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância. As administrações regionais sem restaurantes comunitários atuaram como parceiras, além de secretarias e outras entidades.

Todas as 14 unidades dos restaurantes comunitários receberam chefs da cidade para a ceia especial. Cada um deles levou seu tempero e amor para a população, que teve a oportunidade de comer uma refeição diferenciada e confraternizar com familiares e amigos.
Preparo

Ibaneis Rocha chegou ao restaurante de Samambaia às 9h, vestiu avental e touca, lavou as mãos e deu início ao preparo do bacalhau.

Demonstrando habilidade na cozinha, ele fatiou pimentões e temperou o peixe. O chefe do Executivo também cortou e orientou outros cozinheiros sobre o preparo do pernil. Ibaneis permaneceu no comando do fogão por horas a fio.
150 quilos: bacalhau preparado por Ibaneis foi doado por supermercados do DF | Foto: Renato Alves.

Um dos segredos da receita do peixe, segundo o governador, é cozinhar batata e bacalhau ao mesmo tempo. Assim ela absorve mais sabor, acrescenta Ibaneis.

“Sou um fã da cozinha, da culinária mais simples, inclusive. Fiz muito isso [cozinhar em grandes quantidades] quando fui presidente da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], nos eventos que nos produzíamos. Está sendo um dia de glória a todos nós, um tempero com muito amor para toda a população do Distrito Federal e em especial à de Samambaia”, comentou Ibaneis Rocha.
Menu especial

A base de insumos dos 14 restaurantes foi a mesma: pernil (feito à moda do chef), coxa e sobrecoxa de frango opcionais, farofa natalina, salada, manjar de coco com calda de ameixas de sobremesa e suco de abacaxi com hortelã. O que diferenciou cada unidade e tornou o evento único foi o tempero dos chefs, com pratos adicionais que eles mesmos levaram e prepararam.

Na Samambaia, além do bacalhau preparado por Ibaneis Rocha, as mesas ganharam frutas como pêssego, tangerina, melancia, melão e maçã.

A decoração também foi especial, com árvores de Natal, toalhas vermelhas e fitas cuidadosamente preparadas pela equipe do restaurante comunitário.
Sabor de infância

O ambiente do Rorizão é familiar para a dona de casa Raissa Melo Torres, 26 anos. Nascida na cidade, ela frequenta o restaurante desde 2001 quando sua avó, Estelita, a levava para comer no local.

Raissa guarda boas memórias dos almoços no Rorizão. Atualmente, das duas vezes por semana que frequenta o espaço, o dia preferido é a sexta-feira. Segundo ela, não há como resistir à feijoada. “A comida aqui é muito boa, gosto bastante. Vinha com a minha avó e agora trago meus filhos Arthur e Ana”, comenta.

Enquanto o almoço não ficava pronto, Raissa e os filhos aproveitaram as atividades na área externa. Eles na cama elástica e comendo algodão doce e ela pegando informações sobre saúde na tenda montada ao lado do restaurante.

Ibaneis determinou o retorno do preço a R$ 1 em todos os 14 restaurantes comunitários | Foto: Renato Alves.

Mais familiar ainda é o restaurante para a servidora Lourdes Medeiros, 63 anos. Lourdes trabalha há 11 anos no Rorizão e conhece o local como ninguém. Neste sábado, ela não escondeu a animação em poder participar da ceia especial. “Aqui é um ambiente muito bacana. Gosto do que faço e me impressiona como as pessoas gostam dos pratos mais simples, como é a dobradinha, até a feijoada, o predileto da maioria”, disse.

A servidora da casa atua em vários setores, desde a limpeza até a montagem de itens de higiene como guardanapo e palito, que ela separou cuidadosamente para o evento deste sábado (21).
Uniformes personalizados

Como parte da ação, todos os chefs receberam avental e chapéu personalizados. De cor verde e com a inscrição Nosso Natal, os uniformes foram produzidos por alunos da Fábrica Social, centro de capacitação do governo com o objetivo de inserir profissionais no mercado de trabalho.

Projeto social

O direito humano à alimentação foi contemplado, primeiramente, no artigo 25 da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. No Brasil, após amplos processos de mobilização social, esse dispositivo foi incluído na Constituição Federal de 1988. O Distrito Federal, com o objetivo de garantir o alcance da lei, inaugurou seu primeiro restaurante comunitário em 2001, na Região Administrativa de Samambaia.

O modelo virou um sucesso entre a população e se expandiu. Atualmente, o DF conta com 14 unidades operando em Brazlândia, Ceilândia, Estrutural, Gama, Itapoã, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Samambaia, São Sebastião, Sobradinho, Sol Nascente e Santa Maria.

Qualquer cidadão pode frequentar os estabelecimentos, mas a prioridade é de grupos sociais em vulnerabilidade social ou em situação de insegurança alimentar e nutricional.
Multifuncionalidade

Ao longo de 2019 os restaurantes comunitários passaram por uma intensa manutenção. As unidades também foram utilizadas para outras funções, quando promoveram aulões preparatórios para concursos e para o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), cursos profissionalizantes gratuitos e oficinas de capoeira e outros esportes.

A cultura teve espaço nos restaurantes com a série Almoços Musicais, que levou ao local música para todos os gostos.
Google Plus

Por Paulo Melo

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário