Sessão solene comemora formatura de alunos do Programa Brasília + Jovem Candango

Programa Brasília oferece a estudantes entre 14 e 18 anos, em situação de vulnerabilidade social, oportunidades de profissionalização técnica através de cursos teóricos e estágios em órgãos públicos

A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou, nesta sexta-feira (6), sessão solene de entrega de diploma aos alunos que concluíram o Programa Brasília + Jovem Candango. O deputado Agaciel Maia (PL), autor da lei que instituiu o programa, presidiu a solenidade, que contou com a presença de representantes do Executivo, diretores das instituições partricipantes do projeto e alunos beneficiados.

O Programa Brasília + Jovem Candango foi instituído em 2013 pela Lei Distrital nº 5.216 e oferece a estudantes entre 14 e 18 anos em situação de vulnerabilidade social, oportunidades de profissionalização técnica através de cursos teóricos e estágios em órgãos públicos. O principal objetivo é dar experiência profissional aos jovens e, assim, ajuda-los a ingressar no mercado de trabalho. De acordo com Maia, cerca de 4,9 mil participantes fazem parte do projeto premiado internacionalmente, que já foi adaptado por outros estados, como São Paulo.

Na solenidade de hoje, o deputado, que já fez um curso de capacitação similar na adolescência, discorreu sobre a importância de dar aos estudantes a chance de alcançarem um grau de autonomia financeira, além de prevenir a violência: "O que a juventude precisa é da oportunidade de trilhar caminhos de sucesso e voltar suas mentes ao estudo e trabalho, longe dos riscos que a criminalidade oferece. É preciso pensar não apenas no presente, mas também no futuro deles e esse projeto tem o objetivo de protegê-los ao prepara-los para o mercado de trabalho", afirmou.

Para ele, essa é uma das melhores formas de combater a desigualdade social, principalmente na Unidade da Federação com a maior renda per capta do país e uma das maiores taxas de distribuição desigual de renda de todo o Brasil, o que ele definiu como a principal função da política. Maia garantiu que o programa não será extinto e afirmou que gostaria de expandi-lo.

Já o secretário de Juventude, Leo Bijos, declarou ter enviado para a Casa minuta propondo uma alteração orçamentária que permita a expansão do programa. Bijos ressaltou a falta de assistência para a população jovem, de 15 a 29 anos, que no DF chega a aproximadamente 800 mil pessoas.

O principal consenso entre os alunos que se pronunciaram sobre o programa + Jovem Candango foi de que, além de obterem a experiência necessária para poderem ingressar no mercado profissional com mais facilidade, puderam também ajudar no sustento familiar.

Ao final foram entregues os diplomas. Estavam presentes na solenidade Agaciel Maia, Leo Bijos, o vice-governador, Paco Britto; a diretora da Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração, Aline Ferreira; a coordenadora e assistente social do Instituto Jerônimo Candinho, Gislaine Medeiros, e representante da Força Jovem, Daniel Maia; e os alunos João Vitor Rodrigues e Maria Eduarda Grotão Cardoso, da Renapsi, e Maicon Moraes dos Santos e Camila Maria Rodrigues do Instituto Jerônimo Candinho.
Google Plus

Por Paulo Melo

DF 24 Horas

0 comentários DF24HORAS:

Postar um comentário